Archive for the ‘Ídolos Alvinegros’ Category

Gildo Fernandes de Oliveira

.:: Gildo – 12/01/1940 – 09/03/2016 ::.
Gildo Fernandes de Oliveira, morre aos 76 anos de idade;
Crédito: diariodonordeste.verdesmares.com.br
O Ceará perdeu, na manhã desta quarta-feira (9), um dos maiores ídolos de sua história. Gildo Fernandes de Oliveira, que tinha 76 anos, sustenta a marca de maior artilheiro do Alvinegro de Porangabuçu. Internado no Hospital Antônio Prudente desde o dia 4 de março, quando deu entrada com o diagnóstico de pancreatite e disfunção hepática, o jogador foi vítima de uma parada cardiorrespiratória. Campeão estadual pelo Ceará em 1961, 1962, 1963 e 1971, anotou 261 gols pelo time.
Nascido em 12 de janeiro de 1940, ele também é o jogador que fez mais gols pelo clube nos Clássicos-Reis. Segundo dados do historiador e conselheiro do Ceará, Pedro Mapurunga, Gildo marcou pelo menos 261 gols em 441 partidas com a camisa do Vovô. Isso porque uma parte dos seus jogos na década de 1960 ainda não foram computados.
O velório do ex-atacante alvinegro será a partir das 13 horas, na Funerária Ternura, em Fortaleza. O enterro está marcado para as 17 horas, no Cemitério Jardim Metropolitano, no Eusébio, cidade da Região Metropolitana de Fortaleza.
Além dos quatro títulos pelo Vovô, Gildo foi campeão do Norte-Nordeste de 1969, quando marcou o histórico da vitória por 3 a 2, contra o Remo, no PV. Jogou ainda pelo América de Rio Preto-SP e Calouros do Ar.
Foi artilheiro do Campeonato Cearense duas vezes: em 1961 e 1963, além de ser vice-artilheiro em 1962. (Fonte: Globo esporte)

.:: Ficha Técnica ::.

# Nome Completo: Gildo Fernandes de Oliveira
# Data de Nascimento: 12 de Janeiro de 1940, em Recife (PE)
# Falecimento: 9 de Março de 2016, em Fortaleza (CE), 76 anos
# Posição: Atacante
# Títulos pelo Ceará: Campeão Cearense de 1961, 1962, 1963 e 1971; e campeão do Torneio Norte-Nordeste de 1969;
# Títulos por Outros Clubes: Campeão Estadual de 1959, pelo Santa Cruz/PE
# Clubes que Defendeu: Santa Cruz/PE (1957 à 1960); Ceará (1960 à 1966); América de São José do Rio Preto/SP (1966 à 1969); Ceará (1969 à 1971) e Calouros do Ar/CE (1972 à 1973)
# Nota: Gildo morreu no dia 9 de março de 2016 por uma parada cardiorrespiratória, enquanto internado no Hospital Antônio Prudente, em Fortaleza. O Ceará Sporting Club decretou luto oficial de três dias.

.:: Carreira ::.

Gildo era pernambucano e começou cedo, aos 16 anos, no Santa Cruz. Um ano depois, fez testes no Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, mas acabou retornando ao Tricolor do Recife. Sua trajetória no Ceará começaria em 1960. Gildo, o Pernambuquinho, como era chamado na sua época, veio por empréstimo, com o passe estipulado, com o preço lá embaixo por conta de supostos problemas de joelho. Gildo, literalmente, arrebentou no Ceará e os dirigentes alvinegros da época não pensaram nem duas vezes para comprar seu passe. Era o início de um período histórico para o Vovô, com a conquista do primeiro tricampeonato estadual. Gildo participou das três campanhas e em duas delas (1961 e 1963) foi artilheiro, com 15 e 16 gols, respectivamente. Em 1966, a convite do amigo Marco Aurélio, com quem jogara no Ceará, o Pernambuquinho foi para o América, de São José do Rio Preto, interior paulista. Fez boas campanhas e chegou a ser cotado para o Corinthians, mas sua contratação pelo gigante paulista não chegou a se concretizar, devido a uma grave contusão no joelho direito do atleta.[3] “Ganhei no futebol o razoável para sobreviver”, costuma dizer. Do América paulista, Gildo voltou para o Ceará, ainda na década de 60, quando conquistou a mais taça importante, a do Norte/Nordeste de 1969 foi campeão do Norte-Nordeste numa final contra o remo Remo, do Pará, novamente decidida em três jogos. No Segundo jogo dessa final, o Ceará precisava da vitória, para forçar um terceiro jogo, a partida estava empatada em 2 x 2, até que no final do segundo tempo Gildo acerta uma bela cabeçada no canto superior direito, Gildo não conseguiu terminar a partida, pois após o gol passou o mal e foi levado para o hospital.[4] Em 1971, seria campeão cearense mais uma vez. Nesse ano é antológico o seu gol, nas finais contra o Fortaleza: o goleiro Cícero Capacete cobrou o tiro de meta e, de cabeça, Gildo escorou para o gol, da intermediária! Não viu o gol, pois caiu com o choque com a bola, mas entrava, de vez, para a história. Nesse último ano, já perto do final da carreira, não renovou contrato com o clube do coração. Ingratidão? Gildo, que acabou indo para o Calouros do Ar Futebol Clube (onde jogou duas temporadas e encerrou sua carreira aos 33 anos), não gosta de falar muito no assunto e sequer revela o nome do dirigente que o relegou. Prefere o reconhecimento da torcida. A mágoa ficou. Tanto é que Gildo, mesmo morando próximo ao Estádio Presidente Vargas, que lhe consagrou, passou 22 anos sem ir a um campo de futebol. Em 1972, defendendo o Calouros, enfrentou o Alvinegro e foi ovacionado toda vez que tocava na bola. “Aquilo foi uma honra para mim”, recorda. Em 2001 ele voltou ao Ceará, cumprindo um juramento: o de só voltar ao clube no qual é ídolo maior se fosse para trabalhar. “Estou no lugar de onde nunca deveria ter saído”, concluiu. Coisas da vida…
Em 2011, no jogo contra o Bahia, a diretoria do Ceará prestou homenagem a Gildo, inclusive, lançado sua camisa retrô, e capa da Revista 1914, do mês de setembro de 2011. (Fonte: wikipedia.org)

.:: Galeria de Imagens ::.
Formação do Ceará Sporting Club campeão estadual de 1961;
Crédito: biografiaslg.blogspot.com.br

Gildo, o Maior Ídolo do Vozão

Gildo Fernandes de Oliveira, o Gildo, é apontado pelos próprios torcedores como o maior ídolo que o Ceará teve em 95 anos. A prova mais marcante para Gildo Fernandes de Oliveira, de que ele era realmente amado pela torcida do Ceará veio há tempos. Depois de uma década defendendo o clube do coração, o atacante não teve o contrato renovado, em 1971, e foi parar no Calouros do Ar. No ano seguinte, ele enfrentou o Vovô, em um torneio amistoso. Na oportunidade, Gildo foi ovacionado pela torcida alvinegra toda vez que tocava na bola. “Aquilo foi uma honra para mim”, relembra.

Escolhido como o maior jogador da história do Ceará na votação da Seleção de Todos os Tempos do clube, realizada pelo jornal O Povo, Gildo se sentiu gratificado com a lembrança dos torcedores. “Fico feliz porque os elogios não mudaram com o passar do tempo. Até hoje tenho papos agradáveis com pessoas da época e até com gente que nem me viu jogar”. O ex-jogador aproveitou para elogiar o time. “Esse aí é um timaço. Fica difícil perder”, brinca.

O torcedor que viveu durante os anos 60 compreende bem a importância de Gildo para a história do Ceará. O atacante participou da campanha do Tricampeonato (1961/1963), além dos títulos do Norte-Nordeste de 1969 e do Estadual de 1971. “Dia desses um torcedor me mostrou um áudio dos gols da virada na decisão contra o Remo, em 69. Eu me emocionei”, conta.

O atacante pode ainda se orgulhar de ter sido o artilheiro dos campeonatos de 61 e 63. Foram muitas as atuações memoráveis de Gildo. A mais importante delas, no entanto, ele credita a uma falha adversária. Aconteceu no primeiro jogo da decisão do Estadual de 71. O jogo caminhava para um empate sem gols, quando o goleiro Cícero, do Fortaleza, bateu um tiro-de-meta na cabeça de Gildo. A bola surpreendentemente voltou para as redes tricolores, definindo a vitória do Ceará por 1 a 0. Nas duas partidas seguintes, as equipes empataram e o título ficou com o Vovô. “Com a força do impacto eu caí no chão e até hoje nunca vi aquele gol”, relata. (Fonte: biografiaslg.blogspot.com.br)


.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.

Anúncios

Luiz Francisco do Rego – Lulinha

.:: Lulinha ::.
Lulinha foi homegeado pela diretoria do Ceará Sporting Club.
www.cearasc.com
.:: Carreira ::.
# Nome Completo: Luiz Francisco do Rego
# Data de Nascimento: 12 de Março de 1949
# Falecimento: 27 de outubro de 2013, em Fortaleza
# Posição: Goleiro
# Títulos pelo Ceará: Campeão Cearense em 1981
# Títulos por Outros Clubes: Campeão Cearense em 1973 e 1974 (pelo Fortaleza); Campeão Potiguar em 1983 (pelo ABC)
# Clubes que Defendeu: Calouros do Ar/CE; Fortaleza/CE, Ceará e ABC de Natal/RN.
# Nota: Internado na unidade de terapia intensiva do Hospital de Messejana (Fortaleza), desde a quinta-feira (17/10/2013), o ex-goleiro estava à espera de um transplante de pulmão. Entretanto, devido a uma infecção generalizada, Lulinha faleceu no início da noite de 27 de outubro de 2013, aos 64 anos, vítima de uma fibrose pulmonar intersticial.

.:: Galeria ::.

Foto mais atual. Suas mãos na calçada do PV
No Fortaleza (1º da esquerda) Homenageado pelo Ceará SC.

# 1-1 Referência: www.esportes.opovo.com.br
# 1.2 Referência: www.blog.opovo.com.br
# 1.3 Referência: www.lucianogondimce.blogspot.com.br
# 1.4 Referência: www.globoesporte.globo.com
# 1.5 Referência: wikipedia.org
# 1.6 Referência: www.cearasc.com/Homenagem-a-lulinha
# 1.7 Referência: www.musicadogol.blogspot.com.br
# 1.8 Referência: www.minharuatemmemoria.ning.com

%d blogueiros gostam disto: